Projeto In. Str

102 agentes culturais assinam acordo de parceria até 2021

Cento e duas instituições, associações e agentes individuais assinaram hoje, dia 23 de fevereiro, o acordo de parceria no âmbito do Projeto In. Str, no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Santarém. O acordo de gestão cultural colaborativa estende-se até 2021 e tem como objetivo global “a afirmação da cidade de Santarém como espaço de cultura”.

A cerimónia da assinatura foi presidida pela vice-Presidente da Câmara Municipal de Santarém, e vereadora da Cultura, Inês Barroso. Esteve também presente o mentor do projeto, Nuno Domingos.

Perante uma plateia repleta, Inês Barroso, reconheceu a relevância deste ato que, segundo ela, “expressa a vontade de todos os intervenientes trabalharem em conjunto em prol de Santarém e do seu Centro Histórico”, projetando assim a iniciativa, “Verão In. Str… é um Espanto!”, que vai decorrer de 21 de junho a 23 de setembro de 2018, “não só a nível local e regional, mas também a nível nacional”.

No ano em que se celebra os 150 anos da elevação de Santarém a cidade, onde estão previstos vários eventos, a autarca frisou a imensa alegria da realização da iniciativa onde são esperados mais de 100 mil espectadores, mais 30 mil que em 2017.

Sublinhou o facto da tão ampla adesão de agentes culturais ao projeto (102), “um número que expressa bem a importância que todos consignamos ao Centro Histórico de Santarém”.

O projeto agrega instituições (Diocese, Instituto Politécnico de Santarém, Agrupamento de Escolas Dr. Ginestal Machado, Escola Profissional do Vale do Tejo, Conservatório de Música, Fundações…), diversas associações culturais e recreativas, grupos artísticos (teatro, música, dança, etc.), artistas plásticos, gráficos e fotográficos, entre muitos outros.

A vice-Presidente da Câmara Municipal de Santarém reafirmou a vontade e a predisposição do Município de Santarém para unir esforços e de consignar espaço à participação de cidadãos e instituições, promovendo o desporto, as artes, os espetáculos e a cultura, assim como a troca de experiências, conhecimentos e vivências.

Expressou igualmente o entusiasmo que “o trabalho autárquico pode significar quando suportado por uma tão larga base de apoio, mas também a responsabilidade que esta forma de estar na vida e na política acarreta para quem a professa”.

agentes-culturais

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *