II Festival de Órgão de Santarém encerrou com missa dominical na Catedral

O II Festival de Órgão de Santarém (FÓS) encerrou com a missa dominical, de 17 de novembro, na Catedral de Santarém, que foi integralmente cantada pelo Coro da Schola Cantorum da Catedral de Santarém e acompanhada ao órgão por David Paccetti Correia, sob a direção de Pedro Rollin Rodrigues.

Entre 8 e 17 de novembro, centenas de pessoas assistiram a 5 concertos, 2 visitas orientadas, e uma Missa dominical onde a música para Órgão ecoou em seis órgãos históricos, em seis igrejas de Santarém, Igreja de Nª Sra de Marvila, Igreja de Santa Maria da Alcáçova, Igreja de Nª Sra da Piedade, Catedral de Santarém, Igreja de São Nicolau e Igreja da Misericórdia.

Com uma programação abrangente e diversificada, o II FÓS, em dois fins-de-semana, ofereceu um excelente leque de concertos na cidade onde se apresentaram reputados organistas do panorama nacional e internacional, jovens talentos e músicos que exercem a sua atividade na região assim como instituições musicais do Distrito, tais como o Conservatório de Música de Santarém, o Coro do Círculo Cultural Scalabitano e a Schola Cantorum da Catedral de Santarém. Este festival teve a direção do maestro António Vassalo e do organista João Santos.

De salientar o primeiro concerto do FÓS, que teve lugar na de Igreja Nª Sra de Marvila, um concerto memorável com António Esteireiro no órgão, Pedro Caldeira Cabral na cítara portuguesa e viola de arco tiple e, Duncan Fox, no violone contrabaixo.

Nas visitas orientadas, Rota dos Órgãos Históricos de Santarém, pela guia intérprete Vera Duarte, os participantes tiveram oportunidade de visitar e ouvir pequenos concertos, no dia 9, canto e órgão por Hélia Castro e Daniel Nunes, na Igreja de Santa Maria da Alcáçova, órgão a solo por Paulo Bernardino, na Igreja de Nª Sra da Piedade e órgão e coro, com Marta Cruz e o Coro do Círculo Cultural Scalabitano, na Catedral de Santarém. E na segunda visita voltamos a ouvir Hélia Castro (Canto) e Daniel Nunes (Órgão) na Igreja de Marvila, Marta Cruz (Órgão) e o Coro do Conservatório de Santarém, na Igreja da Misericórdia e a terminar na Igreja de S. Nicolau Lídia Correia apresentou-se no órgão a solo.

Para além dos organistas já referidos, os concertos do FÓS tiveram também Paulo Bernardino, Rui Soares, Laura Silva Mendes e o Jorge Garcia (Espanha), e a presença do Ensemble Moços do Coro, com a direção de Nuno Almeida, e da Orquestra Filarmonia das Beiras, dirigida pelo maestro Fernando Marinho.

Tendo o centro histórico de Santarém o maior número de órgãos de tubo ibéricos (construídos há mais de 200 anos) em funcionamento numa área tão circunscrita e restaurados depois de mais de 100 anos parados, a Câmara Municipal, a Diocese e a Santa Casa da Misericórdia de Santarém criaram o Festival de Órgão de Santarém (FÓS) com o objetivo de divulgar os órgãos históricos da cidade e gerar uma vivência de aproximação e abertura do património à cidade e às suas gentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *