Santarém assinala Dia Internacional das Florestas com a plantação de 250 árvores autóctones no novo Sumidouro de C02 da ESAS

Para assinalar o Dia Internacional das Florestas, o Municipio de Santarém e a Escola Superior Agrária de Santarém (ESAS) constituíram o primeiro Sumidouro de CO2 do Ensino Superior, nos terrenos das ESAS, com a plantação de 250 árvores autóctones, esta quinta-feira, 21 de março, entre as 9h30 e as 13 horas, numa ação que contou com mais de 200 participantes, entre alunos\as e professores\as.

Inês Barroso, Vice-presidente da Câmara Municipal de Santarém (CMS) e António Azevedo, Diretor e Professor Coordenador da ESAS, deram o exemplo e começaram a plantar algumas das árvores, que o Municipio de Santarém ofereceu para a criação do Sumidouro de CO2, no âmbito da 5ª edição do Projeto Municipal Raízes da Sustentabilidade.

As duas centenas de alunos\as e professores\as das licenciaturas de Agronomia, de Produção Animal, de Educação Ambiental e de Turismo da Natureza, bem como dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (TeSP) de Mecanização e Tecnologia Agrária e de Tecnologias de Produção Integrada em Hortofrutícolas, deitaram mãos à obra, neste momento histórico, para a plantação das 250 árvores: 170 de Carvalho-português (Quercus faginea), 40 sobreiros (Quercus suber) e 40 Azinheiras (Quercus rotundifolia), em duas zonas da Escola. Destaque para a segunda parte desta plantação, que passou pela substituição de eucaliptos por árvores autóctones, responsáveis pela filtragem de gases com efeito de estufa.

De referir que este “projeto de natureza ambiental, concebido em 2015 pela Equipa Multidisciplinar de Ação para a Sustentabilidade (EMAS), além de sensibilizar para a importância das árvores autóctones no equilíbrio dos ecossistemas, nomeadamente árvores autóctones de elevado valor ambiental, tem por objetivo implementar as políticas públicas de Alterações Climáticas, através da concretização de ações locais que contribuem para a mitigação do efeito da mudança climática, consequente da ação humana ao nível do Planeta”.

As florestas, enquanto meio de valor intangível, desempenham um papel importante na mitigação das alterações climáticas, porque sequestram e armazenam CO2, emitido pelas atividades humanas, um dos principais Gases com Efeito de Estufa (GEE), emitindo por sua vez, oxigénio para a atmosfera. O abate das florestas e os incêndios florestais têm, assim, um grande impacte nos níveis de CO2 na atmosfera, na destruição de ecossistemas e biodiversidade associada e, consequentemente, na qualidade de vida e bem-estar humano.

O Município de Santarém é membro do Pacto de Autarcas, compromisso local com a política climática EU 2020 desde 2010 e, tem como compromisso a redução das emissões de dióxido de carbono (CO2 equivalente) em 21% até 2020, conforme definido no Plano de Ação para as Energias Sustentáveis (PAES), no entanto mais desafios emergem e o projeto Raízes da Sustentabilidade além de sensibilizar para a importância das árvores autóctones no equilíbrio dos ecossistemas, tem por objetivo dar cumprimento à medida “Santarém a Plantar para Carbono Sequestrar” prevista no PAES e assim, contribuir para que seja alcançada a meta definida até 2020.

O Projeto Raízes da Sustentabilidade alcança, assim, a constituição de 31 Sumidouros de CO2 no concelho de Santarém, com a plantação de mais de 3500 árvores autóctones (Sobreiro, Azinheira, Pinheiro-manso e Carvalho-português), em parceria com famílias scalabitanas, um dos quais, na EB23 Alexandre Herculano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *