Abrã celebra 400 anos da criação da Freguesia com lançamento de livro e descerramento de pedra comemorativa

Para assinalar os 400 da Freguesia da Abrã, a Junta organizou esta terça-feira, 10 de agosto, uma cerimónia com descerramento de uma pedra comemorativa e com o lançamento de livro com uma retrospetiva histórica desta freguesia criada em 1621.

Esta cerimónia contou com a presença de Inês Barroso, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Santarém (CMS), Rui Ferreira, Presidente da Junta de Freguesia da Abrã, Cristina Casanova Martins, Vereadora da CMS, entre outras edilidades e dezenas de populares que se associaram ao evento.

Rui Ferreira começou por lembrar o desafio que recebeu em 2009, quando assumiu com a sua equipa a presidência da Junta. Um desafio que termina agora, ao fim de três mandatos, onde em conjunto com as suas equipas, de cada mandato, deu o melhor de si em prol da freguesia da Abrã. O Autarca lembrou as obras mais emblemáticas para a Freguesia, destacando a intervenção no cemitério da Abrã, que deu maior dignidade ao equipamento.

Ines Barroso começou por transmitir palavras de felicitação do Sr. Presidente Ricardo Gonçalves, que não esteve presente por se encontrar no gozo de férias, e felicitou Rui Ferreira pelo trabalho desenvolvido nos três mandatos. Referiu e enalteceu não só o trabalho como a dedicação e os valores do Sr. Presidente da Junta de freguesia de Abrã, referindo-o ainda como um grande homem por ser um homem humilde: 

“ser humilde não é ser menos que ninguém. É saber que não se é mais do que ninguém”, citou.

O Município ofereceu à Junta de Freguesia uma placa de agradecimento e de felicitação à Junta de afregueso, pelos 400 anos de constituição.  

De referir que, a Abrã foi até 24 de outubro de 1855 uma freguesia do extinto concelho de Alcanede, que desde 1856 passou a ser uma das freguesias do concelho de Santarém.

“Em tempos chamada Abraã, pensa-se que o nome tem origem na palavra árabe âbara, que significa entrada ou embocadura, caminho e porto. (…) O topónimo antigo Abraã não é de origem clara, pois nem aparentemente se aproxima de nomes de lugares que vêm da época romana e derivados do nome pessoal pelo sufixo (ana – ãa), indicando “vila” agrária; mas há autores que lhe dão origem arábica; ainda que pouco aceitavelmente, por incompreensível no local ou na toponímia o respetivo étimo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *