“Uma novela terrificamente hilariante”! Sendo uma novela gravada em Almeirim e por Almeirinenses, pensou-se de que maneira se poderia atrair o público de Almeirim e perceber o que esta cidade tinha de característico que poderia servir de elemento cómico e virar símbolo para as pessoas da terra, ou seja, para além da Sopa de Pedra, algo muito conhecido em Almeirim, as Caralhotas. Este nome é bastante engraçado pois certas pessoas não sabem o que são e pensam ser uma asneira.
Como vamos ter público de todas as idades, era importante retratar vários momentos antigos passados em Almeirim, fazendo remeter para recordações dos nossos pais e avós, mas que tivesse também alguma comédia.
Em relação ao sangue “este tinha que aparecer no título, pensei”. Primeiro porque seria útil para despertar curiosidade, ser provocador e atrair a camada mais jovem que devora filmes de mistério e terror e também pela presença de vários assassinatos que vão ocorrer ao longo da telenovela.
“Sabia que o título ia preocupar, intrigar e provocar falatório por toda a cidade de Almeirim, e não me enganei. Fui criando a história a partir do título para dar a entender o porquê deste nome… E já vou no 18ºEpisódio.”
Acredito que neste momento reunimos todas as forças para mostrarmos a Almeirim e a Portugal que a união e a cultura portuguesa, neste caso, ribatejana, pode dar que falar a todas as faixas etárias e para isso, é importante que partilhem este projeto. Penso que as pessoas entenderão a dimensão deste se forem pacientes e esperarem a sua estreia.
Diogo Andrade – Autor das Caralhotas em Sangue.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *