O EuroRegião Talks, que teve o seu arranque hoje no Convento de S. Francisco em Santarém, é um Ciclo de Conferências promovido pelo Jornal EuroRegião que apresenta o impacto dos fundos comunitários europeus nas diferentes regiões de Portugal.

Este primeiro evento, contou com a participação do Prof. João Bernardo Duarte, investigador na Universidade Nova SBE, que apresentou um novo estudo “Fundos Europeus Estruturais e de Investimento (FEEI) – Avaliação de Impacto nas diferentes regiões em Portugal”.

O Presidente da autarquia Scalabitana, Ricardo Gonçalves, durante a sessão de abertura mostrou-se “expectante com os resultados da integração da nova NUT II Ribatejo e Oeste”. Referiu ainda que “Portugal tem uma dependência de 90% de fundos comunitários. Somos o País da UE com maior dependência. Isso é preocupante, mas também é percetível que sem fundos comunitários, provavelmente, a nossa economia estaria muito pior”.

Recordou ainda que “há uns anos, o Ribatejo estava em fading out, e ia deixar de receber fundos comunitários.  Razão pela qual foi necessário separar este território: metade de nós para o Alentejo e a outra metade foi para o Centro”.

Para o autarca “esta situação foi muito importante, porque parecendo que não, há 19 anos, se não o tivéssemos feito, muitos milhões de euros não poderiam ter sido investidos. Hoje, estamos novamente com alterações. É espectável que no próximo acordo de parceria, a nossa região já esteja no Ribatejo e Oeste, na NUT II, que é diferente do que estar dependente do Alentejo. Vamos ter um investimento territorial integrado, e isso também me deixa alguma expetativa,” sublinhou.

Ricardo Gonçalves finalizou a sua intervenção, lembrando a importância de reforçar os fundos para o Interior: “Temos 30% do investimento para o interior e 70% para o litoral”.

Durante a sessão, foi ainda aborda a temática “Como aproveitar os fundos europeus”, onde Jorge Gaspar (representante da área de consultoria de fundos comunitários), Ramiro Matos (representante da área jurídica), João Duarte (representante da área da comunicação) e Tiago Soares Lopes (representante de área empresarial da região), mostraram os diferentes pontos de vista sobre o tema.

O representante da Entogreen – Desenvolvimento de uma alimentação sustentável (empresa de Santarém) Diogo Palha, partilhou com todos os presentes o caso de sucesso que foi a candidatura do projeto que integra aos Fundos Comunitários.

Durante a sessão de encerramento, o representante da NERSANT – Associação Empresarial da Região de Santarém, António Campos, explanou o ponto de vista da associação, sobre a temática dos fundos comunitários na região da Lezíria e do Médio Tejo.

Este ciclo de conferências seguirá agora para outras regiões de Portugal, onde serão analisados os impactos dos fundos estruturais europeus e como podem os municípios e empresas beneficiar dos mesmos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.