Salgueiro Maia, Fernando Tordo e Fado Bicha em destaque nas comemorações da Liberdade em Santarém

Salgueiro Maia, Fernando Tordo e Fado Bicha são os destaques das comemorações da Liberdade, em Santarém. O Programa das Comemorações do 48º aniversário do 25 Abril, foi apresentado ontem, dia 24 de março, em conferência de imprensa, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, por Ricardo Gonçalves, Presidente da Câmara de Santarém, Nuno Domingos, Vereador da Cultura da Câmara de Santarém, e por João Luiz Madeira Lopes, Presidente das Comemorações Populares do 25 de Abril – Associação Cultural. Esta iniciativa contou com a participação de Inês Barroso, Vice-Presidente da Câmara de Santarém, de diversos membros das Comemorações Populares do 25 de Abril – Associação Cultural e de Ley Garcia, Presidente da Associação Salgueiro Maia.

Ricardo Gonçalves enalteceu o trabalho desenvolvido por todos os intervenientes que, ano após ano, trabalham com a ambição de fazer sempre mais e melhor, demonstrando que “Santarém tem de ser exemplo de liberdade e não apenas um ícone desse valor”.

Para o Presidente da Câmara de Santarém, “compete a Santarém honrar a memória de Salgueiro Maia, num objetivo coletivo e comum de que Santarém ofereça uma programação em crescendo e cada vez mais rica e diversificada, até às Comemorações dos 50 anos do 25 de Abril.

Nuno Domingos sublinhou a importância de envolver a comunidade Scalabitana nas comemorações do 25 de Abril, e a oportunidade única que se abre a Santarém de afirmar as causas que a Revolução dos Cravos nos trouxe, de forma a potenciar a sua notoriedade e desenvolvimento.

Em homenagem a Carlos Oliveira, o amigo Chona, a organização decidiu levar o Abrilarte a 6 vilas do Concelho: Alcanede, Amiais de Baixo, Tremês, Pernes Alcanhões e Vale de Santarém, bem como em Abrã, Póvoa da Isenta e Santarém, em espetáculos que contam com a participação de diversos agentes culturais do Concelho e de fora dele, para além de se incluírem algumas estreias de projetos artísticos.

O Vereador da Cultura lembrou a importância de celebrar Abril, “exortando práticas de defesa das suas causas, a começar pelo três Ds, mas colocando a Liberdade e as liberdades: direitos a igualdade de género, de orientação sexual de opinião, entre outras, e o combate pela sua defesa, contra o racismo ou a xenofobia, por exemplo”. Nuno Domingos referiu também que a programação tem em “linha de conta uma articulação entre a Cultura, a Arte e a criatividade, como papel de relevo e de constante intervenção”.

No dia 2 de abril, às 21h30, a Igreja da Misericórdia, em Alcanede, recebe uma Serenata Mariana, pelo Grupo de Guitarra e Canto de Coimbra do Centro Cultural Regional de Santarém.

A Canção de Coimbra é rica na diversidade de temas, desde o romântico à canção de conteúdo social e de luta, passando pelo cancioneiro popular, bem como pela religião, oração, com realce pela homenagem a Maria, Mãe de Jesus. Daí nasceu a Serenata Mariana, já apresentada em muitas igrejas do País e de França.

Santarém presta Tributo a Salgueiro Maia, no dia 3 de abril, às 11h00, data do seu falecimento, junto da estátua do “Capitão de Abril”, no Jardim dos Cravos. Esta iniciativa conta também com a apresentação de uma intervenção artística de Fernanda Narciso e de alunos da Escola Secundária Dr. Ginestal Machado.

No dia 5 de abril, às 10h00 e às 14h30, o Teatro Sá da Bandeira recebe o Espetáculo “Mais Alto”, integrado no Programa das Comemorações Nacionais do 25 de Abril. A entrada neste espetáculo de música é gratuita, com prioridade às Escolas do Concelho.

Este espetáculo celebra o poder da palavra e da música, partindo do cancioneiro em língua portuguesa para sensibilizar crianças e jovens para a ideia e a prática da democracia.

Em palco, a democracia é celebrada como um encontro entre todos para construir uma sociedade melhor, um lugar de liberdade, onde há espaço para diferentes vozes e opiniões.

Entre as escolhas não faltarão músicas de Sérgio Godinho, José Afonso, José Mário Branco, mas também de Rita Lee, B. Fachada ou Xutos & Pontapés, para abordar com os mais novos temas sobre ambiente, direitos humanos, liberdade e democracia.

“Mais Alto!” é um concerto comentado pelos músicos e contextualizado pela escritora Isabel Minhós Martins.

Dia 8 de abril, às 21h30, as Escadarias da Igreja Matriz de Amiais de Baixo (em caso de mau tempo – Casa do Povo), recebe a Serenata Mariana, pelo Grupo de Guitarras e Canto de Coimbra do Centro Cultural Regional de Santarém.

Santarém recebe a Antestreia do Filme “Salgueiro Maia – O Implicado”, de Sérgio Graciano, no dia 11 de abril, às 21h00, no Teatro Sá da Bandeira. (Estreia em todas as salas de cinema do País, dia 14 de abril, incluindo o Castello Lopes Cinemas, no W Shopping). A antestreia conta com a presença do Realizador, produtores e convidados. Entrada por Convite, numa organização do Cineclube de Santarém.

No dia 20 abril, pelas 21h30, o Círculo Cultural Scalabitano – Teatro Taborda, recebe a Estreia do Documentário “Plano B” e Conversa com Coronel Joaquim Correia Bernardo – Capitão responsável pelo plano de operações do “Plano B” e Pedro Adão e Silva – Comissário das Comemorações Nacionais do 50º Aniversário do 25 de Abril (até dia 30 de março), entretanto nomeado, Ministro da Cultura do XXIII Governo Constitucional.

Dia 23 abril, das 11h00 às 12h30, as ruas do Centro Histórico vão ser “invadidas” pela ARRUADA DE PALHAÇOS “Em Liberdade a Alegria saiu à rua”, pelo Veto Teatro Oficina do Círculo Cultural Scalabitano.

No dia 24 de abril (domingo), às 21h30, o Convento de S. Francisco recebe um Concerto dos Fado Bicha e de Fernando Tordo, de entrada gratuita (sujeita a levantamento prévio de Bilhete no Convento de S. Francisco, até às 19h00, do dia 24 de abril com última entrada às 21h10. A partir dessa hora, a entrada no Concerto será feita por ordem de chegada, limitada à lotação do espaço).

A organização vai trazer a Santarém duas gerações da Liberdade: Fernando Tordo – o músico que cantou a ‘Tourada’, a canção que, apesar da letra aguçada de Ary dos Santos, escapou à censura, num Portugal pré-25 de abril e que lhe deu a vitória no Festival da Canção, em 1973. Depois do 25 de Abril, Fernando Tordo voltou a vencer o Festival RTP, ao lado de Paulo Carvalho, Luísa Basto, Ana Bola, Edmundo Silva e Fernando Piçarra, no grupo Os Amigos e com a canção “Portugal no Coração”.

O regresso aos registos discográficos aconteceu ainda no decorrer de 1976. Adeus Tristeza (1983) é o primeiro disco com letras de Tordo e também um dos de maior sucesso da sua carreira, elevando a popularidade do autor a níveis não atingidos antes. O regresso aos palcos aconteceu em 1989, de novo na companhia de Paulo Carvalho e Carlos Mendes, numa tournée de espetáculos de grande sucesso, que deu título à edição em disco de Só Nós Três. Seguiu-se um período de afastamento, até novo retorno às atuações ao vivo, dando suporte a duas edições discográficas gravadas com o apoio da Youth National Jazz Orchestra, de Londres. Após outro interregno prolongado, Fernando Tordo voltou ao estúdio, gravou novo trabalho, ainda mais virado para o público jazz e batizou-o recorrendo a um aforismo de Galileu que bem pode caracterizar a carreira do autor, marcada pela constante revitalização e pela consistência.

E os Fado Bicha – um projeto musical e ativista, criado e desenvolvido por Lila Fadista, na voz e letras, e João Caçador, nos instrumentos e arranjos. No palco propõem uma exploração inédita dentro do universo do fado, ao mesmo tempo que ultrapassam as barreiras de género rígidas do fado tradicional, e criam narrativas para temas que ali não tinham ainda expressão. O projeto assume-se de intervenção, começando na representatividade da comunidade LGBTI, passando por temas que abordam e as posições que defendem, em temática como: o género, o colonialismo, o racismo, o feminismo e os direitos dos animais, por exemplo.

O que trazem é, como eles mesmos descrevem, uma “subversão” da regra heteronormativa, que caracterizam como sendo “muito forte no meio do fado tradicional, e na sociedade portuguesa em geral”, pelo que reclamam o direito de se apropriarem de um património que, como explicam, é seu também, explorando-o de acordo com as suas identidades e experiências.

Após os Concertos, às 24h00, vai ser lançado um magnífico Fogo de Artifício, do W Shopping, oferecido pela administração deste Centro Comercial.

O dia 25 de abril tem início às 11h00, com um Desfile simultâneo de Bandas Filarmónicas do Concelho: Banda da Sociedade Filarmónica Alcanedense, Banda da Sociedade Musical e Recreativa do Xartinho e Banda da Sociedade Filarmónica de Instrução e Cultura Musical de Gansaria (ver percurso no Programa), a caminho de Salgueiro Maia, para a cerimónia evocativa do 25 de Abril “Cravos para Salgueiro Maia”, às 11h30 que conta com a participação de familiares, amigos, entidades públicas e oficiais.

Às 12h30 tem lugar o Almoço Comemorativo do 25 de Abril, no antigo Refeitório da Ex-Escola Prática de Cavalaria, para o qual estão convidados todos quantos se queiram associar.

Inscrições: Comissão das Comemorações do 25 Abril – Associação Cultural – 963 512 243 / 964 563 460 e Emoção d’Imagens – 243 323 212 – Rua Dr. Pedro Canavarro (rua do Minipreço).

Às 16h00 é inaugurado o Painel de Arte Urbana da Scalabitana Mariana Simão, “Uma desconstrução visual do Cravo – símbolo do 25 de Abril”, no Jardim da República.

Pelas 16h15, há “Histórias de Liberdade”, pelo Aqui Há Gato, no Jardim da República.

Às 16h45, vamos Marchar pelo Futuro – Desfile da Liberdade, num percurso do Jardim da República à Igreja da Graça, com a participação da Banda Filarmónica da Gansaria. A organização convida os partidos políticos, associações culturais, desportivas, movimentos cívicos e população em geral, a associar-se a esta iniciativa.

Pelas 17h30, a Igreja da Graça é palco do Encontro de Coros, integrado no projeto “Abril Mês do Coro”, que com a participação do Coral da Cidade de Vila Real, Coro Capela Marta (Póvoa de Varzim), Orfeão da Santa Casa da Misericórdia de Gouveia e Coro do Círculo Cultural Scalabitano. Entrada livre (limitada à lotação do espaço).

Ao longo de todo o mês de abril, vão decorrer diversas intervenções de Contadores de Histórias, nas escolas do Concelho.

As comemorações do 25 de Abril têm início a 2 de abril e prolongam-se até dia 18 de junho.

A organização das comemorações do 48º aniversário do 25 de Abril, está a cargo da Câmara Municipal de Santarém – Santarém Cultura e das Comemorações Populares do 25 de Abril em Santarém – Associação Cultural. Esta iniciativa tem como parceiros: AJA – Associação José Afonso – Núcleo de Santarém, CCRS – Centro Cultural Regional de Santarém, Cineclube de Santarém, Círculo Cultural Scalabitano, Escola Secundária Dr. Ginestal Machado, Livraria e Associação Aqui há Gato, Poemas e Fantasias – Associação, SRO – Sociedade Recreativa Operária de Santarém e SRO – Sociedade Recreativa Operária do Vale de Santarém.

Conta também com os seguintes apoios: Diocese de Santarém, Junta de Freguesia de Abrã, Junta de Freguesia de Alcanede, Junta de Freguesia de Alcanhões, Junta de Freguesia de Amiais de Baixo, Junta de Freguesia de Pernes, Junta de Freguesia da Póvoa da Isenta, Junta de Freguesia do Vale de Santarém, União de Freguesias de Azoia de Cima e Tremês, União de Freguesias da Cidade de Santarém e W Shopping.

Consulte aqui o Programa:https://www.cm-santarem.pt/images/santarem/rpc/2022/Noticias/3_marco/programa_25_abril_low.pdf

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.