DSC_7721

O Presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, Dr. António Ceia da Silva, esteve nos dias 3 e 4, com a sua comitiva numa visita ao concelho de Santarém. Inserida no Programa «Conhecer para Agir», a visita tem como objectivo o reconhecimento do território, que já foi posto em prática em nove municípios ribatejanos, conhecendo assim de perto a oferta turística, as mais-valias e fragilidades do mesmo.
Ricardo Gonçalves, Presidente da Câmara Municipal de Santarém, o vereador do Pelouro do Turismo Dr. Luís Farinha, a arquitecta Dra. Catarina Pires, Dra. Cláudia Coutinho do Gabinete de Apoio à Presidência, e a Dra. Vera Duarte, Técnica de Turismo estiveram presentes na recepção aos dirigentes e técnicos da Turismo do Alentejo e Ribatejo, nos Paços do Concelho, na Câmara Municipal, no passado dia 3.
Luís Farinha, Vereador do Pelouro do Turismo, felicitou a Entidade de Turismo pela iniciativa. “Esta oportunidade que nos é dada para dar a conhecer o concelho é essencial para que hoje possamos, em conjunto, poder trabalhar de forma a atingir o objectivo comum que é dá-lo a conhecer e captar o maior número de turistas possível”. Para Luís Farinha, o concelho de Santarém é diferenciador, não só por ser a capital de distrito mas por existirem particularidades no concelho, segundo ele, que o distingue. “O nosso programa da visita está estruturado em função daqueles que são os três elementos que consideramos diferenciadores no concelho. Temos a serra, com todo o seu potencial nomeadamente as grutas do Algar do Pena, as pegadas de dinossauro de Vale de Meios, percursos de BTT e pedestres; temos o rio, com toda a sua biodiversidade e que tem grande potencial ao nível dos percursos, ciclovia, entre outros; e temos também toda a estrutura urbana, com o seu valor monumental, onde se distinguem alguns edifícios classificados”.
Ceia da Silva, Presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, iniciou o seu discurso agradecendo a recepção por parte da Câmara Municipal e a todos os presentes. Ceia da Silva falou no objectivo da acção «Conhecer para Agir»: “Não podemos falar de um território sem o conhecer. Não podemos articular boas políticas estratégicas, do ponto de vista turístico, se não conhecermos”. Para Ceia da Silva “temos muitos produtos mas poucos recursos. Santarém, para mim, foi uma agradável surpresa. Vamos fazer acções com escolas, o concurso «Um turista, um amigo» que queremos implementar a partir do próximo ano lectivo aqui também no Ribatejo. Santarém tem um conjunto de apetências enormes que vamos trabalhar. Uns projectos já estão financiados, outros estão em fase de estruturação dos planos operacionais”. Um recurso da zona, na opinião do Presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, é o turismo natureza, associado ao Tejo e à serra. Na área do turismo náutico, há que estruturar e estudar, segundo Ceia da Silva, um produto. O turismo cultural / Religioso também está bem presente na cidade de Santarém: “o turismo religioso não é só peregrinação. Santarém tem uma ligação ao Brasil fabulosa e que pode ser estimulada. A figura de Pedro Álvares Cabral, e do seu túmulo que está na Igreja da Graça, irá catapultar este destino para um mercado muito interessante. Queremos criar uma rota que vai juntar Vasco da Gama, Pedro Álvares Cabral e Colombo: uma rota dos Descobrimentos. É uma área que Portugal não tem aproveitado, segundo a minha opinião”.
Para Ricardo Gonçalves, Presidente da Câmara Municipal de Santarém, “o Dr. Ceia da Silva tem tido uma grande assertividade. Sempre que o município de Santarém solicita algo à Entidade Regional de Turismo, nunca há uma resposta «não» ou «sim, mais logo». Há sempre uma resposta «vamos trabalhar, vamos ver!». Se há uns tempos atrás não nos identificávamos com Lisboa e Vale do Tejo, por este perspectiva da proximidade, hoje essa proximidade existe.” Para o Presidente da Câmara Municipal “com a capacidade de trabalho dos técnicos da Entidade e com o empenho do pelouro do turismo da Câmara, vamos levar a bom porto todas as nossas iniciativas”.
O primeiro local a ser visitado foi a Sé de Santarém e o seu novo museu, ainda em construção. Seguiu-se a Igreja de Nossa Senhora da Piedade. A igreja é tipicamente maneirista, inscrevendo-se na arquitectura do estilo chão pela sua sobriedade e austeridade, apesar de apresentar vários elementos anunciadores da linguagem artística do barroco.
Seguiu-se a viagem, de autocarro, até à Quinta da Ribeirinha. A Quinta da Ribeirinha dedica-se à produção de vinhos, espumantes, azeite e compota. Seguiu-se a prova de vinhos, incluindo os dois que ganharam medalha de ouro na V Gala Vinhos do Tejo, no passado dia 23 de Maio: o Vale de Lobos (Branco/2013) e Vale de Lobos Reserva (Tinto/2010). A Quinta da Ribeirinha ganhou ainda Medalha de Excelência.
Posteriormente decorreu o almoço no restaurante O Chicote, em Achete. A visita prosseguiu para o Hotel de Charme Casa da Amieira, em Amiais de Cima. A Casa da Amieira durante muitos anos foi uma casa de família, com todas as suas tradições e recordações. Mais tarde foi totalmente reconstruída, ampliada e decorada transformando-se assim no actual hotel de charme, com 11 quartos. Cada quarto tem uma identidade muito própria, sendo cada um alusivo a um fruto.
Seguiu-se a visita à gruta do Algar do Pena: encontra-se situado no Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros e integra a maior Sala Cársica conhecida em Portugal. As pegadas de dinossauros de Vale de Meios foi o local visitado a seguir pela Entidade.
A Quinta da Cabrita – Casas de Turismo Rural – foi o local visitado posteriormente. Trata-se de um conjunto de quatro casas restauradas: Ameixoeira; Amendoeira; Laranjeira e Oliveiras, inseridas em cerca de dez hectares de terra com vinhas e terreno agrícolas. Possui piscina e jardins, ideias para relaxar.
Seguiu-se viagem até ao Complexo Aquático de Santarém: aberto em 2002, é composto por piscinas descobertas, uma delas com escorregas e outra de ondas, com 480 metros quadrados. Possui ainda piscinas cobertas e tanques de aprendizagem e iniciação.
Depois da visita ao Complexo, seguiu-se viagem para as Caneiras, onde Lurdes Véstia, fez uma apresentação sobre os Avieiros do Tejo. Fez-se o percurso, a pé, pela pitoresca aldeia piscatória junto ao Tejo, com as suas casas de madeira sobre palafitas.
A Ribeira de Santarém foi o último local visitado neste dia.

Amanhã damos a conhecer aos nossos leitores a visita da Entidade pelo concelho, no dia seguinte (dia 4). Não perca!

Vânia Cláudio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *