No passado domingo, dia 15 de Março, a RCA/Rádio Bonfim festejou a sua II Gala em Almeirim, tendo sido a I em 2012.
Num ambiente de grande festa, os muitos amantes da rádio vindos de várias zonas do concelho de Almeirim, proporcionaram aos artistas momentos de boa disposição.
A festa começou com a apresentação do veterano Manuel Coutinho que falou dos novos programas e dos novos locutores, entre os quais alguns já repetentes.
É o caso de Sérgio Teodósio e Fátima Neves que vão apresentar o programa “Olha que dois” e a “Rota das estrelas”, da responsabilidade da Mário Rodrigues. Vera Salgueiro, Nuno Pinto e José Sirgado são também algumas das novidades.
O espetáculo começou em ouro com a presença de Augusto Canário e Vanessa Teixeira, uma dupla imbatível, vinda de Viana do Castelo, que proporcionou momentos de grande alegria.
Seguiu-se o Cantora Xana Carvalho, de Loures. Bruno Mendes, de Lisboa, apresentou o seu próximo álbum que sairá em Maio. Pedro Silva e Silvestre, ambos de Coruche, foram os artistas que se seguiram. Ricky vai lançar o seu trabalho também em Maio: na sua actuação fez vibrar a assistência com interpolações diretas ao público. “Um Homem também chora” foi o tema interpretado pelo cantor do Porto, Santiago. De Alvalade do Sado vieram os “Amantes do Alentejo”. “Leva-me ao castigo” foi o tema interpretado pela cantora Jéssica. Bélito Campos, o «Tony Carreira» preto, pôs todos os espectadores a dançar.
Um momento de humor foi interpretado pela dupla Carlos Petisca e Vera Oliveira, de um grupo de teatro da Chamusca, auxiliado por alguns voluntários da plateia, mostrando a sua veia artística.
Seguiu-se o tão importante momento de fado, começando por Jorge Nunes, filho do cantor Jorge Fernando, Liliana Martins, Guilherme Frazão e Célia Leiria, intercalados por João Ferreira Mendes, que declamou um lindíssimo poema alusivo ao Ribatejo, continuando com João Chora, Dora Maria e terminando com a excelente voz de António Pinto Basto. Todos os artistas do fado foram acompanhados à guitarra por Pedro Amendoeira e à viola por João Chora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *