Lídia Saboga
38 Anos
Castanheira do Ribatejo
Controller de Gestão

Altura 1,60         

Peso   57

Olhos castanhos esverdeados                    

Cabelo castanho claro

84-67-99

Finalmente foste Mãe. Para quando na realidade?

Na realidade, o ser mãe é um sonho que gostava de realizar, para quando não sei, pois na minha opinião um filho deve ser fruto de um lindo e grande amor, e será no momento certo quando o destino me tiver reservado.

A produção de Mãe Natal resultou em cheio. Gostarias de repetir outras produções?

Adorei fazer esta produção para a revista, já fiz o ano passado em Sintra, mas diferentes óbvio, amo a fotografia, é uma paixão, já o faço como modelo fotográfico e muitas mais produções hei-de continuar a realizar.

Uma vez ligadas as Finanças achas que os portugueses têm dinheiro para prendas?

A visão que tenho da nossa economia, é a de que não está na “sua melhor condição”, existem muitas desigualdades na distribuição do Rendimento em Portugal, onde existem famílias que vivem bem e confortavelmente e outras, se não a maioria, com muitas dificuldades económicas que exigem muito “malabarismo” para “sobrevier” e suprir as necessidades do dia a dia. O Natal é uma época em todos nós vivemos e sentimento com mais sensibilidade, apela ao nosso coração e como não podia deixar de ser aos miminhos. Quem não gosta de receber miminhos? Mesmo com dificuldades, as famílias pelo menos tentam que nada falte na mesa da ceia de Natal e oferecer às crianças momentos de alegria e felicidade presenteando-as com aquilo que mais gostam. Os adultos recebem um carinho também, mas Natal, Amor e Carinho, apesar de ser sentido com mais intensidade nesta época do ano deveria ser sentido, distribuído e retribuído o ano inteiro.

O que oferecias como prenda de Natal e a quem?

O que oferecia no Natal se tivesse condições para tal, seria satisfazer a necessidade básicas de vida a todas as populações, em Portugal e no mundo inteiro, esse é um dos meus desejos pedidos todos os anos. Não penso apenas em mim, também me tento colocar do outro lado e perceber que se estivesse nessas situações também gostaria de ser ajudada.

O que te levou a fazer estas sessões Fotográficas?

Recebi este convite com muito carinho, porque a revista chama-se “É Ribatejo”, a região onde eu vivo, onde cresci e que eu amo, sem esquecer a minha Lisboa onde eu nasci e o Alentejo onde estão as minhas raízes. Produzir esta sessão fotográfica teve a intenção de promover e publicitar esta zona lindissima do nosso país com a arte que me apaixona a fotografia e a moda, contribuindo também, para dar a conhecer aquilo que temos de melhor para oferecer a quem nos visita, turismo, gastronomia, vinhos, coudelarias, paisagens fantásticas do estuário do tejo entre outros. É um orgulho para mim, e continuara a ser se puder fazer mais e melhor por esta região, por exemplo através da fotografia.

O mundo da Moda seria para seguir ou é apenas Hobby?

O Mundo da moda, embora não seja uma jovem iniciada neste meio com futuro de carreira auspiciosa nacional/ interncional, é um caminho que quero continuar a seguir tanto como Hobby ou outras oportunidades que vierem surgindo.

Viaje para fora ca dentro. O que mais gostas do nosso Pais?

O nosso país é fantástico de Norte a Sul e ilhas, adoro esta luz maravilhosa que nos inunda, não há nada como o nosso sol, adoro as nossas praias, paisagens, a gastronomia. Visitar as nossas cidades e aldeias e conhecer melhor a cultura de cada uma delas.

Se já visitaste algum Pais estrangeiro, qual foi o que mais te impressionou?

Sim já viajei, mas a que mais me marcou vou a viagem a Marrocos, por ser um país de cultura muito diferente da nossa, cheia de cor, paisagens tons de terra, os cheiros, cores e sabores, a “riqueza”, beleza das construções dos monumentos, embora a contrastar com a pobreza de muitos, o deserto é lindo, as tendas onde bebemos o chá e andar de camelo, algo que nunca tinha feito.

Quem levarias para uma ilha deserta?

Levar-me-ia a mim própria com o coração cheio de paz de espirito, amor, alegria e felicidade que partilharia com toda a certeza na presença da minha mãe, a mulher que me inspira em tudo, um pilar de vida. Mas também poderia levar um grande amor, por exemplo como o de “Dirty Dancing”.

 Agradecimentos: Cabeleireiros La Coiffure, Maquilhagem Mónica Grácio, Restaurante TASCÁ – Almeirim

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *