Câmara de Santarém vai atribuir Medalhada de Ouro da Cidade de Santarém à Fundação Madre Luiza Andaluz

No âmbito das comemorações dos 90 anos da Fundação Luiza Andaluz, no encerramento da sessão solene que se realizou dia 21, pelas 21 horas, no Teatro Sá da Bandeira, Susana Pita Soares, Vereadora da Câmara Municipal de Santarém (CMS) anunciou, em nome de Ricardo Gonçalves, Presidente da CMS, que “é intenção do Executivo Municipal e da União de Freguesias da Cidade proporem a atribuição da Medalha de Ouro da Cidade de Santarém à Fundação Madre Luiza Andaluz”. “Pretendemos fazê-lo a 19 de março, nas Festas de São José, aproveitando a comemoração dos 90 anos desta casa que tanto nos orgulha”, afirmou a autarca.
Luísa Maurício, presidente da Fundação, por seu turno, manifestou a gratidão da Fundação e da Congregação das Servas de Nossa Senhora de Fátima “a Deus e a todos: irmãs, colaboradores, benfeitores, professores e tantos anónimos, no escondimento que lutaram com tenacidade, dedicação e carinho por esta obra, ao longo de 90 anos, para que os seus nobres objetivos fossem alcançados acolhendo centenas largas de crianças e jovens aos quais a vida roubou o que de melhor deveriam ter como direito, uma família feliz”.
Durante a cerimónia foi realizada uma retrospetiva histórico-cultural por Martinho Vicente Rodrigues e por Jacinto Guerreiro que falaram de todo o processo da criação da Fundação e os problemas que enfrentou Luiza Andaluz para conseguir erguer a Instituição. Um processo que se revelou difícil, mas no qual Luiza Andaluz contou com o apoio de familiares, amigos, benfeitores, agricultores e comerciantes durante as décadas que dirigiu a Fundação, tendo conseguido ajudar centenas de crianças e jovens meninas carenciadas de Santarém, dando-lhes um Lar, sob o lema: “servir, proteger e educar”. Uma forma de estar que ainda hoje se mantém, no apoio social que presta à Comunidade.
O evento, que contou com a presença de mais de uma centena de convidados, foi abrilhantado pelas atuações Liodmila Litvínova, ao piano, e David Telles, na flauta transversal, do Conservatório de Música de Santarém, seguido de dois apontamentos musicais, interpretados por Hélia Castro e pelas alunas da Fundação.

7

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *