A nova Política Agrícola Comum e a sua aplicação em Portugal e Espanha estiveram hoje em debate na FNA21 – Feira Nacional de Agricultura / Feira do Ribatejo, que decorre no Centro Nacional de Exposições, em Santarém, até ao próximo domingo, 13 de junho.

A inovação e a tecnologia, as negociações da Política Agrícola Comum (PAC), a comparação dos pagamentos diretos entre Portugal e Espanha e o que podem os agricultores esperar da nova PAC, foram os temas abordados numa sessão que contou com a participação da Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, de deputados europeus e também da ASAJA, a maior organização agrícola profissional de Espanha.

No Webinar “Imunocastração em suínos, experiência e futuro”, organizado pelo projeto Empreende Vinhais, o debate centrou-se no enquadramento legal, objetivos e respetivos mecanismos de ação. 

Já a Associação Portuguesa de Enologia e Viticultura (APEV) levou a cabo as suas VIII Jornadas Técnicas e o debate centrou-se na “Vinha e Vinho – Caminhos para a Sustentabilidade”.

A discussão finalizou com o seminário “Avaliação de matéria orgânica em solos de pastagens”, durante o qual se apresentarem os resultados do projeto “Go Solo”.

A Feira Nacional de Agricultura é habitualmente palco de inúmeras visitas e hoje não foi exceção com a presença do Presidente do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos e de D. Duarte Pio de Bragança.

O líder do CDS afirmou que o evento é um “palco extraordinário para os nossos agricultores que merecem que o país real valorize o seu trabalho pois foram verdadeiros heróis durantes estes tempos de pandemia e são os primeiros responsáveis pela nossa sustentabilidade ambiental.”

O líder centrista deixou também críticas ao executivo e lembrou alguns exemplos como o programa de substituição de tratores para evitar acidentes e aumentar a eficiência energética, que “teve dez vezes mais procura que a oferta” ou a falta de água no Rio Tejo. “A questão da água é um problema de sustentabilidade da nossa agricultura, mas Portugal, que é um país soberano, continua completamente dependente de Espanha”, referiu.

O dia ficou ainda marcado pela realização de atividades ligadas à tradição ribatejana como Escolas de Toureio, Treinos de Forcados, Provas de Apartação e Condução de Cabrestos, Provas Equestres e Largada de Toiros.

Amanhã o dia começa com um Desfile de Campinos e Cavaleiros pela cidade de Santarém, e no recInto da FNA 21 decorre o Concurso de Saltos Nacional e o II Concurso Nacional da Charolês Portugal. Os Mercados Tradicionais, a Entrega dos Prémios Prestígio da AMPV, o Seminário “A Comercialização no Sector Agroalimentar Pós-Pandemia” (Org. FNAP) e a Largada de Toiros completam o programa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *