Exposição “Salgueiro Maia Um Legado ainda não cumprido” no Convento S. Francisco
No âmbito das comemorações do 41º aniversário do 25 Abril, foi no passado dia 10 de abril, proferida a palestra “25 de abril de Salgueiro Maia: testemunho” proferida pelo antigo jornalista e historiador Jorge Morais seguida da inauguração da exposição “Salgueiro Maia – Um Legado ainda não cumprido”, no Convento de S. Francisco.
Jorge Morais relatou passo a passo o dia desde o início da manhã do dia 25 de abril de 1974 até à queda do regime fascista, dando o seu testemunho pessoal sobre a revolução que viveu enquanto jornalista do Jornal República, jornal da oposição do regime.
Ricardo Gonçalves, presidente da Câmara Municipal de Santarém, referiu que muitos dos ideais do 25 de abril ainda estão por cumprir. Recentemente foi anunciado que Santarém vai ser agraciada com a Ordem da Liberdade, o autarca aproveitou para dizer que “não poderia deixar passar este fato e associá-lo não só aos muitos fatos históricos que se passaram em Santarém, mas a este em particular, ao 25 de abril e a toda a importância que Santarém teve nessa revolução, aos capitães que saíram daqui e em particular Salgueiro Maia, que foi alguém que participou na revolução, que fez uma revolução não para si mas para as gerações vindouras e que depois teve um despreendimento fascinante relativamente a tudo o que era poder e realmente são estes homens, com esta grandeza, que nos fazem estar hoje com muito orgulho nesta exposição.”
O presidente de Castelo de Vide, António Pita, disse que a exposição que estava a ser inaugurada, era de certa forma uma síntese do acervo que Salgueiro Maia deixou em testamento a Castelo de Vide. António Pita revelou que no próximo dia 22 de abril vai ser assinado, em Castelo de Vide, com o Secretário de Estado da Cultura o compromisso da construção de um espaço museológico, no castelo medieval, que vai ter a designação “Casa da Cidadania Salgueiro Maia” onde vai estar exposto o acervo cedido em testamento pelo Capitão de Abril.

A exposição “Salgueiro Maia Um Legado ainda não cumprido” está patente até dia 8 de maio no Convento de São Francisco. Estão expostas peças em que figura o “célebre” megafone com o qual, a 25 de Abril de 1974, no Largo do Carmo, em Lisboa, o Capitão Maia intimou Marcello Caetano a render-se e “a entregar o poder às forças da Democracia”, bem como o testamento lavrado pelo seu cunho e o uniforme que envergava no 25 de Abril, e outras fardas do seu percurso militar, a par de várias divisas, estandartes e pendões, insígnias, diplomas e louvores, documentos militares, fichas escolares, cartazes, fotografias e uma coleção de miniaturas de carros de combate (a especialidade de Salgueiro Maia como Oficial de Cavalaria e a sua grande paixão profissional) e outras peças alusivas ao 25 de Abril.
No âmbito desta exposição estão também patentes trabalhos realizados pelas escolas do concelho de Santarém referentes às comemorações dos 41 anos do 25 de Abril.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *