XI FITIJ apresenta grupos artísticos de cinco países estrangeiros, sete áreas de ação artística e vinte e três espetáculos em nove palcos da Cidade

A XI edição do FITIJ – Festival Internacional de Teatro para a Infância e Juventude foi apresentada sexta-feira dia 4 em conferência de imprensa, no W Shopping, e conta com a participação de grupos artísticos de cinco países estrangeiros, a par de companhias portuguesas, profissionais e amadoras.

O FITIJ decorre de 18 a 27 de setembro e conta com a participação de companhias de teatro da Bélgica, Brasil, Espanha, Inglaterra e Polónia, que vão apresentar espetáculos multifacetados que vão da comédia satírica ao teatro para bebés, passando pela música clássica e contemporânea, marionetas, concertos, artes urbanas, oficinas para crianças, performances, workshops, exposições temáticas, flashmobs, bem como debates e tertúlias, para todas as idades.

O FITIJ apresenta-se em sete áreas de ação artística: Criançando, Exposições, Formação, Fórum FITIJ, Flashmobs e Arte Urbana, a par de vinte e três espetáculos que vão ser apresentados em nove palcos da Cidade.

Carlos Oliveira (Chona – como é carinhosamente conhecido), do FITIJ – Associação Cultural, agradeceu aos principais parceiros: Câmara Municipal de Santarém, Fundação Inatel e W Shopping, por todo o apoio concedido “desde a primeira hora”, referindo que “o Teatro e a Cultura têm que estar para além da crise e os seus empreendedores têm que estar para além daquilo que precisamos”.

Ricardo Gonçalves, Presidente da Câmara de Santarém, Rui Sérgio, Diretor do Departamento de Cultura da Fundação Inatel e André Tavares, do W Shopping, enalteceram a organização desta iniciativa pela sua importância para Santarém e para o Teatro.

Ricardo Gonçalves afirmou que “é com muito orgulho que estou nesta mesa”, como parceiro do FITIJ, e lembrou as dez edições deste Festival que “conseguiu criar raízes que permitiram que este Festival não caísse no esquecimento”. O Presidente da Câmara de Santarém referiu ainda que este Festival vai “continuar por muitos anos, inserido no Projeto In Santarém”, e também “com o apoio de todos os parceiros que permitem que este Festival prossiga”, demonstrando a importância do associativismo cultural.

André Tavares referiu que “a paixão por este projeto cativou o W Shopping desde a primeira hora”.

Rui Sérgio lembrou que “hoje estamos a virar uma página”, e referiu que “este Festival, que regressa quatro anos depois de ser interrompido, não é um Festival de lantejoulas – deixou memória e aquilo que fica é aquilo em que temos que apostar”, e acrescentou que, também “Almeida Garrett decidiu que a civilização sem Teatro não existe e que o Teatro sem civilização também não existe”.

Carlos Oliveira agradeceu aos setenta e três parceiros, de diversas instituições, públicas e privadas que permitem a realização deste Festival, bem como à comunicação social, pelo apoio à divulgação e a muitos amigos, o que demonstra que este festival para além de inovar, envolve a comunidade local.

Chona, por muitos reconhecido como um dos grandes homens do Teatro em Santarém, afirmou que agora apenas falta “Que se abra o pano, que as crianças sorriam e que o público aplauda”, para que o FITIJ renasça em força à terra onde vive”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *